Enquete

O que mais impacta na sua vida as restrições por causa do coronavírus?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


Programa de georreferenciamento promete aumentar segurança no campo

22 de maio de 2020 | Arquivado em Geral | 81 views

A tecnologia pode ajudar a aumentar a segurança no campo. Com o objetivo de implementar o Programa Propriedade Segura, baseado no georreferenciamento das propriedades rurais do interior gaúcho, o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo (PP), propôs nesta quarta-feira (20) uma videoconferência para a apresentação da iniciativa pelo presidente da Emater, Geraldo Sandri, ao vice-governador e secretário estadual da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), à chefe de Polícia, Nadine Anflor, e ao secretário estadual da Agricultura, Covatti Filho.

Na reunião virtual, foi apresentado o projeto que já está implementado nos municípios de Colorado, Ibirubá e Getúlio Vargas. Com apoio de prefeituras, órgãos de segurança e iniciativa privada, funciona nessas cidades um sistema que permite a integração de mapas com ruas e estradas do interior e as coordenadas de cada propriedade rural. Com esse georreferenciamento em operação, órgãos de segurança pública têm acesso a rotas de deslocamento mais eficientes e rápidas em caso de ocorrências, por meio da navegação por um sistema de GPS.

Ex-secretário estadual da Agricultura e com origem no campo, o deputado Ernani Polo abriu o encontro relatando as dificuldades de se localizar algumas propriedades afastadas durante ocorrências policiais. O objetivo do programa é garantir mais agilidade no deslocamento e atendimento, uma vez que o sistema é capaz de apresentar rotas mais eficientes, diminuindo as distâncias percorridas e custos. “A ideia é envolver Brigada Militar, Polícia Civil e, eventualmente, Corpo de Bombeiros, ajudando a aumentar a segurança no campo. A experiência foi muito exitosa em Colorado, Ibirubá e Getúlio Vargas. A ideia agora é ir avançando e atingir todos os municípios. Num primeiro momento, seria importante ter uma cidade participante em cada região da Famurs, como forma de servir de modelo aos demais”, afirmou Polo, acrescentando a intenção de incluir no futuro Farsul e Fetag na iniciativa.

Outro fator positivo é que, com a identificação das propriedades incluídas, a placa do projeto com as coordenadas geográficas pode servir como elemento de repulsão à ação de criminosos.

O delegado Ranolfo se comprometeu a encaminhar o tema para a área técnica da Secretaria da Segurança Pública, para uma análise de viabilidade e de custos nos municípios que já implementaram o programa. Num segundo momento, a ideia é elaborar um plano de implementação estadual com ajuda da Famurs. “Sem dúvida, é algo muito interessante para todos”, disse. Já a delegada Nadine relatou que conheceu o programa em Getúlio Vargas, onde o sistema já ajudou a Polícia Civil em investigações e até em capturas de foragidos. A sugestão é integrar a iniciativa ao programa RS Seguro, do governo do Estado.

Participaram da reunião, ainda, o diretor-geral da Famurs, José Scorsatto, o assessor técnico da Famurs Ismael Horbach, o diretor técnico da Emater e superintendente técnico da Ascar, Alencar Paulo Rugeri, e a deputada estadual Silvana Covatti (PP).

Por Maicon Bock, Assembleia Legislativa


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem