Enquete

Você acha que o Grêmio consegue esse ano o acesso a Série A?

Ver resultado

Loading ... Loading ...
SÃO SEPÉ Tempo

Nos bastidores da vida- Sérgio da Silva Almeida

5 de fevereiro de 2022 | Arquivado em Opinião | 150 views

 
Jornais fizeram matérias bacanas sobre os 14 anos do meu recorde brasileiro e mundial do Guinness Brasil de maior número de palestras vivenciais proferidas em um único dia. Foram 11 palestras de uma hora cada, com 10 minutos de intervalo entre uma e outra, no dia 30 de janeiro de 2008, na Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul.

Naquele dia, o público de cerca de 1.143 pessoas assistiu às minhas falas das 8 horas da manhã até perto da meia-noite. 
O Guinness deu impulso à minha carreira profissional como palestrante e escritor. E várias histórias engraçadas – e até embaraçosas – marcaram minha trajetória nesses 14 anos. Permita-me contar algumas. 


Há alguns anos, fui a Campo Grande (MS) palestrar no Fórum e, no dia seguinte, no Tribunal de Justiça. Preparei o mesmo tema para ambos. Felizmente, me saí bem na palestra do Fórum, apesar do “frio na barriga”. O que fez com que eu fosse mais “relaxado” para a palestra do TJ, que seria transmitida ao vivo pela TV TJ para todo o estado. Foi aí que “deu ruim”: no terceiro slide constatei que havia aberto o Power Point de outra palestra “nada a ver” com a do dia anterior. Caramba, e agora? 


Suando frio, olhei para o público e para as câmaras de TV, e pensei: “Digo a eles e pago ‘mico’ ou ‘sigo o baile’?”. Decidi dar seguimento à fala. No fim, enquanto autografava um livro para uma juíza, ela disse: “Eu assisti sua palestra de ontem. E tenho que parabenizá-lo, pois deste duas palestras diferentes em dois dias”. Aliviado, respondi: “Obrigado, estou aqui para dar o meu melhor!”. 


Em outra oportunidade, durante palestra in company em Porto Alegre, enquanto esperava ser chamado ao palco, a trava da porta trancou e eu fiquei preso no banheiro da empresa. O mestre de cerimônias, entusiasmado, pediu à plateia para se pôr de pé: “Vamos receber o recordista mundial do Guinness, Sérgio Almeida!”. E eu lá no banheiro, “brigando” com a maçaneta. Sem alternativa, apoiei o pé no vaso sanitário, passei pelo espaço entre o teto e a porta, e pulei para fora, fazendo um “barulhão daqueles”.

Quando entrei correndo no salão, a plateia caiu na risada. 
Nas palestras e na vida é mais ou menos assim: “Quanto mais bonito o ‘espetáculo’, maior é a confusão nos bastidores”. 


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

    Nome (obrigatório)

    E-mail (obrigatório)

    Mensagem