Enquete

O Grêmio escapa ou não do rebaixamento?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


No Dia das Mães, traga o passado de volta – Sérgio da Silva Almeida

6 de maio de 2021 | Arquivado em Opinião | 24 views

Sérgio da Silva Almeida

Passei o fim de semana com a família ao lado dos meus pais na Cabanha Quinheca, no Irapuá, interior de Caçapava do Sul, e antecipei o Dia das Mães, já que não vou poder estar com a minha mãe no próximo domingo. Meus irmãos assaram um churrasco e dona Amália serviu quibebe de abóbora. José Henrique, meu filho caçula de 14 anos, que nunca havia comido abóbora em forma de purê temperado, elogiou a receita.

Não sei você, mas às vezes o tal de homesickness me pega em cheio. Quem mora fora do país conhece bem essa palavra da língua inglesa, que em uma tradução livre significa “saudades de casa”. A psicóloga cachoeirense Letícia Ventura explica: “Trata-se de um estado de ânimo natural que surge como resultado de se estar longe da família, sentir saudade dos pais e de situações que lembrem sua casa. Pode ser uma comida, uma música, um pet ou até mesmo um objeto”. Por se tratar de um sofrimento causado por estar longe de casa, costumo dizer que homesickness é a expressão máxima da vivência da frase: “Você só dá valor quando perde ou quando precisa soltar a saia da mãe – ou a carteira do pai”.

Como qualquer coisa na vida, sair da casa dos pais tem prós e contras. E quer saber? Podemos participar das melhores palestras motivacionais, mas nada se compara as frases “motivadoras” que a mãe dizia quando éramos crianças: “O brinquedo que estiver no chão vai pro lixo”, “Em casa a gente conversa!”, “Se eu for aí e achar, vou esfregar na tua cara!”, “Vou te dar motivos para chorar de verdade”, “Por acaso você é de açúcar?” ou “Você não é todo mundo!”. Podemos criar playlists e ouvir as músicas mais bacanas, mas nenhuma ganha o nosso coração como as canções de ninar que a mãe cantava para nos fazer dormir. Podemos visitar os lugares mais paradisíacos do mundo, mas o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço de mãe. Podemos comer os pratos mais sofisticados, nos restaurantes mais chiques, feitos pelos chefes de cozinha mais famosos, mas nada se compara a um quibebe de abóbora preparado com carinho pela mãe. Ele traz o passado de volta!


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

    Nome (obrigatório)

    E-mail (obrigatório)

    Mensagem