Enquete

Você acha que o Grêmio consegue esse ano o acesso a Série A?

Ver resultado

Loading ... Loading ...
SÃO SEPÉ Tempo

Foi rasteira mesmo! Nilton Moreira

24 de março de 2022 | Arquivado em Opinião | 51 views

Tem acontecimentos em nossa vida que conotamos falta de cuidado, negligência, imprudência, imperícia, e até tem pessoas que dizem que foi acaso ou fatalidade, e sempre que trata-se de consequência ruim dizem que foi azar. Ora, cremos que não existe nem sorte nem azar e sim merecimento ou determinismo.

Quem já não torceu um tornozelo, tropeçou ou caiu tombo? Quantos já em razão de queda quebraram pé, costela, braço, ou apenas ralaram o joelho!

Um amigo nosso na cidade de Campo Novo, estava jogando futebol num torneio de confraternização, e em dado momento ficou imobilizado, pois rompera o Tendão de Aquiles. A festa terminou para ele e para os amigos. Acaso?

Mas é comum estarmos caminhando pela rua e em dado momento tropeçarmos em um buraco e acabarmos fraturando o tornozelo. Acaso, azar, fatalidade? De maneira nenhuma! Foi rasteira mesmo! Somos influenciados mais do que supomos pelos irmãos nossos desencarnados, e muitos querem nosso mal, vingança. Em razão da nossa invigilância é que somos atingidos pelo invisível aos olhos da matéria. Um médium vidente certamente enxergaria a ameaça e se defenderia.

Divaldo Franco, sempre diz que não consegue dirigir veículo automotor, pois que enxerga a todo momento o plano espiritual e isto poderia criar uma confusão se estivesse na direção de veículo. Lembram do filme sexto sentido? Pois é, tem um personagem menino que vê “gente morta” todo o tempo!

Então concluímos que podemos ser conduzidos a um buraco, basta que nossa atenção seja desatentada por segundos, e pronto. Está feito o estrago.

É evidente que damos causa a influência da espiritualidade para que rasteiras aconteçam. Isso ocorre pincipalmente por deixarmos brechas em razão de nosso comportamento. O Homem mais Especial que passou pela Terra disse certa ocasião: “vigiai e orai”. É nisso que se resume dar causa para que soframos estes acidentes que muitas vezes nos pareçam acasos.

Busquemos sempre estarmos o maior tempo possível com o pensamento elevado e certamente as rasteiras diminuirão ou até nem acontecerão, pois se não fazem falta em nossa vida, porque acontecerem? Deduzimos serem apenas consequências da nossa invigilância.


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

    Nome (obrigatório)

    E-mail (obrigatório)

    Mensagem