Enquete

Você acha que o Grêmio consegue esse ano o acesso a Série A?

Ver resultado

Carregando ... Carregando ...
SÃO SEPÉ Tempo

Espetáculo em Canto e Prosa encanta alunos de São Sepé

26 de abril de 2022 | Arquivado em Educação e Cultura | 69 views

A história de São Sepé e suas personalidades já foi contada de diferentes formas pelo Professor Felipe Pereira: através das páginas de seu livro “Histórias de São Sepé”; por bate-papos na Oficina “História e Patrimônio do município”; e agora, por meio de um grande espetáculo que une narrativa e música.

A ação, que faz parte da Programação de Aniversário de São Sepé, foi dividida em diferentes blocos para os alunos das escolas do município e comunidade em geral. Durante a apresentação, realizada através de uma parceria da Fundação Afif, com o Professor Felipe e os músicos Fabiane Monego Brum e Alex Casanova, os presentes puderam conhecer mais sobre a memória de São Sepé por meio de cantos e prosas.

Conforme relatado na apresentação, São Sepé surgiu a partir da promessa de construção de uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Conceição – um desejo dos moradores do distrito de São João, como era identificado o território atual do município. Francisco Antônio de Vargas – um grande guerrilheiro, morador de Formigueiro, liderou o movimento.

Após muita luta, o município de São Sepé foi criado pela Lei provincial n° 1029, de 29 de abril de 1876, com territórios dos municípios de Cachoeira e Caçapava do Sul. Somente em 15 de março de 1877, São Sepé foi elevada à categoria de cidade, pelo Presidente da Câmara de Vereadores da Vila de Caçapava, Pedro Antônio Medeiros, pelo decreto n° 7.199.

Durante todo o espetáculo, diferentes músicas completaram a história e abrilhantaram ainda mais a apresentação, que contou com as canções: Razões pra voltar de Leandro Teixeira; São Sepé Tiaraju de João Luiz Vargas e Flávio Reichembach; Voltando à Querência, de Michele Pauletto e Pedro Darci Fraga Cunha; No centro do pago, de Glaucio Brum; Legado de Gaspar Brito Costa e Belquis Neves da Fontoura.“Estou muito feliz em poder interpretar um dos grandes legados da nossa comunidade.

Espero que para os estudantes, o espetáculo tenha servido de instrumento histórico, valorizando as memórias e culturas de São Sepé, para que assim possamos manter vivo o legado do passado e presente do nosso município”, relatou Felipe, que durante a apresentação, interpretou um dos grandes nomes do município: Diolofal Brum.

 O último módulo do espetáculo aconteceu na noite de hoje, 26, às 19h no Auditório Ulisses Guimarães e foi aberto a toda a comunidade sepeense, além de transmissão ao vivo pela JGTV.

Informações: A. I. Prefeitura Municipal – Camila Fogliarini- Coordenadoria da Comunicação.


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

    Nome (obrigatório)

    E-mail (obrigatório)

    Mensagem