Enquete

Você aposta na classificação dos times gaúchos na Libertadores 2020?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


Em Plenário: 10 de maio Luís Garcia

10 de maio de 2019 | Arquivado em Geral, Opinião | 52 views

 

 

Luís Garcia

Alvoroço: O anúncio nesta semana de que o prefeito Léo, em agenda pela capital do Estado, conseguiu avanços importantes junto ao Governo do Estado e protocolou pedido na FEPAM, junto com os diretores da Mineradora do Carmo Ltda e Toscana Mineradora Ltda da cidade de Criciúma, Santa Catarina, para Licença Prévia para a abertura da mina de carvão e futura instalação de mais uma Usina Termelétrica em São Sepé, na localidade São Rafael, já gerou alvoroço.

As manifestações foram as mais diversas através das redes sociais e para variar, não faltou bate boca e polêmica.

De um lado os que aplaudem a iniciativa de mais um investimento, mas de outro, a turma do contra, de que nada pode dar certo em São Sepé. São aqueles mesmos da velha política que há anos a gente sabe o que defendem: “Quanto pior melhor”

E no meio dos prós e contras, ainda há um terceiro grupo de pessoas, os leigos que opinam, a favor e contra, pelo que ouvem falar, sem ter o mínimo conhecimento de causa.

Independente de opiniões, o processo está em andamento. O projeto prevê um investimento prévio em torno de R$ 75 milhões e geração de mais de 70 empregos diretos. A Previsão é a geração de 12.5 megawatts de energia, carvão para ser retirado por 100 anos.

Os contrários: Pelo que a gente andou lendo através das redes sociais, do que ouviu de algumas “mentes brilhantes” da cidade, aqueles mesmo que dizem tudo, mas não fazem nada, a exploração do carvão trará sérios prejuízos ao meio ambiente e para a população. Dizem que as águas do Rio São Sepé, que já sofre com parte do esgoto da cidade, ficará ainda mais poluída. E que a população vai ter problemas de saúde com a poluição do ar. Por isso e muito mais, são contra a exploração do carvão.

Os a favor: Os que defendem o empreendimento com fonte de geração de emprego, renda e desenvolvimento para a cidade, dizem que as tecnologias avançaram muito na questão da exploração do carvão e que não existem riscos para a população. Que não haverá barragem de contenção, nem tanques, como a de Brumadinho, em Minas Gerais. Que se fosse poluir o rio – mas isso não irá ocorrer – o arroio São Rafael não desagua no rio São Sepé, mas sim no Santa Bárbara. Dizem também que o carvão não será lavado, por isso, não existe essa hipótese de poluir algum manancial. E por fim, garantem que os equipamentos hoje utilizados estão tão avançados que não haverá poluição do ar, muito menos mau cheiro que possa incomodar as pessoas. Falei com o prefeito, que lidera os seguidores do investimento e ele me resumiu em uma frase a sua posição favorável: Alguém possa imaginar que eu iria trazer algo para prejudicar a saúde das pessoas da minha cidade e minha família?

Debate: Bom, como vocês viram, o debate é interessante, e para aqueles que estão em dúvida, se informar é o melhor caminho, debater, conversar, ter conhecimento de causa é fundamental, até para que não se ande falando bobagem, nem criando pânico, muito menos ilusões. Fica a sugestão ao Poder Executivo e também ao Poder Legislativo, para que se faça uma audiência pública, com especialistas no assunto, trazendo técnicos, professores e especialistas no tema, para um debate amplo, a fim de esclarecer todos os pontos. Só assim teremos a certeza se é mesmo positivo ou negativo esse empreendimento, além disso, quanto mais o debate ocorrer, mais se fortalecem os laços da democracia.

A carroça e as melancias: Em meio ao debate sobre a tal exploração de carvão em São Sepé, saio do tema para dizer que recebi do vereador Eto, a seguinte mensagem e que ele fazia questão que eu publicasse neste espaço: “Pode escrever aí que se é para mexer com as melancias, estou pronto e coloco meu nome a disposição do partido para a chapa majoritária. Eu e meu filho Murilo também entendemos bem disso”.

Tal manifestação do vereador foi em cima do que escrevi semana passada, sobre o Kéio ser pré-candidato a vice-prefeito e o Marcelinho, seu filho, se filiando no PP.

Calma gurizada, ainda tem outra safra de melancia, mas é lógico, se elas ficarem guardadas no galpão, apodrecem.

Para Refletir: “Num debate quem deve brigar são as ideias e não as pessoas. Podemos criticar sem ofender. Podemos elogiar sem bajular” (Pastor Jair Gouvea)


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem