Enquete

Qual time gaúcho tem mais chances de ser campeão do Brasil?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


Eleições 2020: propostas de Cleri Schroder para governar São Sepé

16 de outubro de 2020 | Arquivado em Geral, Política | 864 views

A partir de hoje pretendemos iniciar uma série de reportagens no jornal do Garcia Online, com objetivo de conhecer as propostas dos candidatos e assim contribuir com o processo para que o eleitor possa conhecer mais sobre seus planos para governar São Sepé. Outros temas que não aparecem nesta primeira etapa, serão feitos nas demais. Enviamos as mesmas perguntas aos dois candidatos que concorrem a Prefeitura de São Sepé.

Confira aqui as propostas de Cleri Schroder, PP, da Coligação São Sepé Não Pode Parar.

Arno Cleri Schroder, candidato a prefeito e Kéio Santos, candidato a vice-prefeito

JG: Porque o senhor que já foi  prefeito de São Sepé, outra vez está se colocando a disposição de sua comunidade?

Cleri: Acredito que devemos participar ativamente das questões da nossa cidade. Nasci e me criei neste município e aqui pretendo ficar por toda minha vida. Nunca tive aquele perfil político, mas ao longo da minha trajetória sempre estivemos próximos dos assuntos locais e regionais. Acho que se tu pode dar tua parcela de contribuição isso é muito importante.

Aliás, eu não quero ver minha cidade novamente com vi lá em 2005, com as poucas máquinas que haviam na oficina, contas atrasadas, etc.

Como disse, não tenho anseios políticos em uma carreira maior. Meu objetivo é contribuir para a cidade que tanto gosto.

Se desenha, com exceção de uma divisão parcial do MDB, um quadro político de coligações e ideias muito parecidos com as últimas eleições. Seu partido obteve excito em ambos os pleitos. O que leva crer que outra vez o projeto  vai ser vitorioso?

O nosso projeto por São Sepé vem amadurecendo e avançando nos últimos anos. Por isso, entendemos que essa construção por uma cidade melhor vem sendo consolidada com o passar do tempo. Assim está sendo com o aumento do número de empresas (que mais do que dobrou nesse tempo); a vinda de novas redes de lojas para a cidade; construção e ampliação de postos de saúde e escolas/creches; avanço do calçamento que foi bastante presente nas últimas gestões; compra de máquinas e veículos para atender a infraestrutura, e tantas outras ações.

Nossa campanha é bem clara quanto a isto. Mudança não é do dia para a noite, a menos que optemos por comprar um discurso bonito apenas no papel com promessas vazias e sem que se diga como fazer e com quais recursos. Os sepeenses sabem que estamos mudando, passo a passo. E sabemos que ainda há muito a fazer.

JG: Quais as suas prioridades nas seguintes áreas: Saúde, Educação, Cultura, Desporto, Agricultura, Assistência Social, Desenvolvimento, Finanças, Obras e infraestrutura?

Cleri:

Saúde: a prioridade atual da saúde tem nome e é conhecida por todos: covid-19. Inclusive quero deixar aqui meu reconhecimento às equipes da saúde que há meses estão se dedicando de corpo e alma para preservar nossa cidade, em um trabalho que deixa pouca margem para apontamentos. Respondendo à pergunta, nosso programa de governo abrange a criação de novas unidades de saúde em bairros como o Zenari, Projeto Cidadão do Futuro, dar uma atenção nos horários de atendimento da farmácia municipal; qualificação no atendimento à população LGTBi; políticas de acolhimento a vítimas de racismo e violência doméstica, bem como, espaços de debate para o enfrentamento ao preconceito; ampliar o projeto que garante transporte de pacientes para outras cidades com horários flexíveis, etc.

Educação: as últimas gestões tem realizado um trabalho muito forte no sentido de aumentar a oferta de vagas na educação infantil, inclusive, com a construção de nova creche no Lôndero, além das extensões; tornar o ensino mais atrativo com o uso de tecnologias; ampliação dos atendimentos no Centro de Atendimento ao Autista Daniela Neves Righi; novos cursos técnicos, graduação e pós-graduação no Polo de Educação; e um projeto de escola em tempo integral, dentre outras medidas.

Cultura: entendemos que as ações culturais nas áreas centrais são satisfatórias com a realização de diversos eventos que envolvem a comunidade. Para avançar, o foco é a descentralização levando mais atividades para os bairros como eventos de música, feiras de trocas ou brechós, além de encontros temáticos com as comunidades e oficinas e cursos.

Ainda ampliar nossos cursos da Casa da Cultura, que já contemplam muitas pessoas. Nossa biblioteca precisa ser modernizada com processos digitais, como apresentar uma plataforma de busca, reserva e acesso de livros e e-books) e, também, um espaço kids.

As formas de apoio a economia criativa devem ter destaque, como o Brique das Mercês. Também temos um objetivo de fomentar alguns eventos com o reconhecimento do Sinuelo da Canção Nativa como patrimônio cultural do RS e, ainda, reconhecer a nossa Festa do Divino do Espírito Santo como patrimônio imaterial.

Esporte e Lazer: uma das áreas que mais mostrou avanços com investimentos em projetos e infraestrutura. Assim foi com a nova quadra, cadeiras, placar eletrônico e banheiros adaptados no ginásio de esportes, ou ainda as melhorias no complexo do Pamade, espaço que tantos gostam para realizar atividades físicas. Vamos investir na estrutura do ginásio de esportes, instalação de câmeras de segurança no ginásio e Pamade, fazer um trabalho forte de manutenção nas quadras de esportes dos bairros e propor que cada bairro tenha, ao menos, uma praça de brinquedos e convivência.

Agricultura: outro setor que recebe bastante amparo das últimas gestões. Com parcerias, equipamos as associações de produtores com a patrulha agrícola, quando dezenas de implementos chegam até os pequenos para auxiliar na produção. Vamos intensificar um projeto nosso muito importante, que é o FRADER. Também avançar no projeto de irrigação e micro-açudes. O município também pode disponibilizar um equipamento para auxílio dos profissionais que trabalham com corte de pedra, melhorando a condição da exploração desta riqueza. Outra pauta presente será com relação à causa animal, onde projetamos um programa de microchipagem de animais domésticos.

Assistência Social: um projeto da minha gestão que gostaria de ver novamente é o Esporte Cidadão. São crianças recebendo todo tipo de amparo e atendimento no contra turno escolar. Esporte, aulas de reforço, higiene.

Queremos também dar andamento ao projeto já existente que prevê a construção de 120 novas unidades habitacionais, a exemplo das que foram entregues pela gestão do prefeito Léo. Queremos fortalecer as associações de bairros, estimulando a troca de ideias. O banco de alimentos é outra meta para que possamos garantir amparo para famílias em vulnerabilidade social.

Desenvolvimento: adequar nossa incubadora para proporcionar um ambiente de treinamento e capacitação para profissionais e tornar a mão de obra mais qualificada é uma das nossas propostas.

Outra marca das nossas administrações é o incentivo ao empreendedorismo. Hoje é possível abrir uma empresa e sair com os papeis resolvidos em um ou dois dias! Para este público, também fundamental a criação de uma linha de crédito a juros baixos que contemple os MEI’s e ME’s.

Precisamos também continuar a regularização fundiária nos bairros, ação que está em constante avanço no município. Além disso, queremos criar um espaço readequado para o comércio popular.

Na geração de emprego e renda, temos um projeto ligado a piscicultura, com a possibilidade de se criar um frigorífico de peixe. E, por fim implantar o projeto “Supercidadão” o qual tem com objetivo dar suporte à cooperativa de recicladores e fortalecer campanhas educacionais junto da comunidade na questão do lixo orgânico e seco.

Finanças: Temos algumas ideias como a criação de programas municipais específicos de incentivo a emissão de notas fiscais com premiações. Assim, se estimula o consumo consciente da população.

Do outro lado, o programa “Empresa Amiga” vai destacar as que tem maior  percentual de Valor Adicionado Fiscal (VAF). Mas vale dizer que a prefeitura de São Sepé em nossas gestões vem cumprindo rigorosamente os compromissos em dia, tanto com o pagamento de salários, quanto com os fornecedores.

Pode parecer uma obrigação, mas basta olhar o cenário de outras cidades e do nosso próprio Estado, que atrasa salário e tem sérias dificuldades financeiras, para ver o quanto esta ação é importante e mexe com a vida da nossa comunidade.

Obras e infraestrutura: uma das áreas mais complexas certamente é a das obras. O município tem uma extensão territorial rural muito grande, o que exige muito da manutenção, além do que o passar do tempo colocou nestas estradas em fluxo muito maior de caminhões e máquinas que escoam nossa produção.

Aliás, nosso governo foi o que mais substituiu pontes de madeira por pontes de concreto. Na cidade, deve haver melhorias na infraestrutura dos bairros, que aliado a limpeza urbana, garante uma prestação de serviços adequada aos moradores. Projeto de tubulação, calçamento e limpeza pública e drenagem em alguns pontos onde há sangas na zona urbana.

JG: Os últimos prefeitos vem carregando um fardo pesado de parcelamento de dívida com o Fundo dos Servidores. Esse fardo ficará mais pesado  ainda para os próximos gestores e por muitos anos. Como o senhor vê essa questão e pretende fazer esse enfrentamento?

Cleri: Primeiramente, importante salientar que não existe parcelamento. Existiu sim, quando assumi a prefeitura em minha primeira gestão acabei adquirindo também esse valor deixado de outras administrações. Valor este que foi totalmente liquidado. O que existe hoje, sim, é um passivo de um passado em que não havia uma arrecadação nos moldes atuais, até mesmo por que sequer legislação balizadora existia. Neste sentido, a administração vem nos últimos anos fazendo este pagamento passivo, com o pagamento deste “passivo” – além da contribuição habitual obedecendo rigorosamente o cálculo atuarial. Vou recordar aqui que o RPPS tinha cerca de R$ 33 mil em caixa quando assumi e hoje são cerca de R$ 55 milhões.

JG: Caso seja o prefeito eleito. Qual seu compromisso com os partidos que lhe apoiam. Foi feito algum acordo para que eles venham ocupar espaço em seu governo?

Cleri: Nossa coligação reúne três siglas: o Progressistas, o Solidariedade e o MDB. São apoiadores que acreditam na nossa candidatura por entender que São Sepé está no caminho certo. A composição de cargos não foi sequer cogitada, uma vez que estamos em meio ao processo democrático de escolha dos nossos representantes.

JG: O que mudou, de melhor e para pior em São Sepé desde o tempo em que o senhor foi prefeito?

Cleri: Não é demais dizer que São Sepé avançou muito. A gestão do prefeito Léo é elogiada não só aqui, mas no Estado e país.

É um administrador que soube conduzir muito bem nossos dias por aqui. O aumento de empresas, a quantidade de obras e projetos entregues é prova disso.


Como todo município de porte pequeno temos nossos problemas. Eles residem em infraestrutura melhor, em melhorar o próprio serviço prestado, atrair novos investidores, etc. E o caminho para solucioná-los é o mesmo: gestão de trabalho e seriedade ao lado da população.

Não é por acaso que nosso slogan diz: humildade para ouvir. Credibilidade para governar.

Convido a todos para que leiam nosso programa de governo completo no

https://cleriekeio.com.br/programadegoverno-2/


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem