Enquete

Qual time gaúcho tem mais chances de ser campeão do Brasil?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


Bom pra cachorro- Sérgio da Silva Almeida

8 de outubro de 2020 | Arquivado em Opinião | 17 views

Matéria publicada em jornal gaúcho do qual sou articulista sobre corridas de cavalos que foram disputadas no asfalto me deixou boquiaberto. “Os cavalos seguiram em acelerado galope, sob gritos de incentivo de moradores”, dizia a matéria.

Ao ler o texto, me surgiu uma dúvida: turfe no asfalto pode ser caracterizado como maus-tratos a animais? Talvez a resposta esteja no comentário que um leitor deixou no Fórum online do jornal: “Brincadeira de péssimo gosto: as ferraduras dos cavalos não são apropriadas para o asfalto”.

Praticar atos que causem sofrimento físico ou psíquico a animais é uma “maldade sem tamanho”. Por isso não discordo daqueles que acham que há um fundo de verdade na frase “quem maltrata os bichos não pode ser boa pessoa”. É o que a Bíblia diz no Livro de Provérbios: “Os bons cuidam bem dos seus animais, porém o coração dos maus é cruel”. E há quem chegue ao ponto de afirmar que aquele que não sente um pingo de compaixão ao abandonar covardemente gatinhos indefesos dentro de sacos à beira da estrada, ou ao acorrentar cães em locais insalubres, sem água e sem comida, ou a obrigar cavalos magrelos e famintos a puxar carroça em meio ao trânsito, sob pressão e relhaços não pode ser chamado de ser humano.

Como escreveu Roger Machado da Costa: “Pessoas que maltratam os animais, não podem ser chamadas de pessoas, e muito menos de animais para não ofendermos os coitados”.

A boa notícia para a bicharada que estava “num mato sem cachorro” é que Bolsonaro sancionou projeto de lei de autoria do deputado federal mineiro Fred Costa (Patriota) que endurece as penas para quem maltratar cães e gatos. “Se você não quer tratar com carinho, com o devido respeito um cão ou um gato, não o tenha em casa”, afirmou o presidente.

Conforme a nova legislação, apelidada de “Lei Sansão” em homenagem ao cão que teve as patas traseiras decepadas com uma foice em Minas Gerais (o agressor se mantém “longe pra cachorro” da cadeia, pois será apenas multado pela Secretaria de Meio Ambiente, visto que foi denunciado com base no texto anterior), este crime passa a ser punido com pena de reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição de guarda.

Pode ser que alguém torça o nariz, mas Bolsonaro é o responsável pelo melhor voto da minha vida. Usando uma expressão popular: “O presidente está fazendo um governo “bom pra cachorro”. 


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem