Na balada

Veja todas as notícias desta categoria


Colunistas


Enquete

Qual time vai ser Campeão Gaúcho?

Ver resultado

Loading ... Loading ...

Previsão do Tempo


Bloqueio pode comprometer pagamento dos servidores do RS

9 de fevereiro de 2019 | Arquivado em Geral | 181 views

 

 

Na manhã de sexta-feira (8), foram bloqueados de diferentes contas do Estado R$ 157 milhões para pagamento de precatórios em decorrência de decisão judicial. Os recursos sequestrados estavam sendo transferidos ao Estado pelo Banco do Brasil, decorrentes de repasses federais como FPE (Fundo de Participação dos Estados), Simples Nacional e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

O sequestro deve ter efeito em diversas necessidades de pagamento do Executivo, inclusive sobre o calendário da folha dos servidores já anunciado no último dia 31 pelo governador Eduardo Leite.

A PGE está buscando medidas jurídicas para reverter a retirada de recursos. A Secretaria da Fazenda estima que, caso seja mantido o bloqueio de R$ 157 milhões, será ainda possível pagar os servidores que recebem até R$ 2.250,00, cuja data definida foi dia 11 de fevereiro.

Já as demais datas, que são os dias 12, 13 e 14 de fevereiro, ficam condicionadas à entrada de outras receitas e da evolução da arrecadação estadual para a cobertura da diferença.

Ou seja, mantido o sequestro, o Estado não poderá cumprir com o calendário de pagamento pré-estabelecido, bem como demais pagamentos previstos para os próximos dia

s. Esse foi um dos riscos fiscais apontados pelo governador e pelo secretário da Fazenda, Marco Aurélio Cardoso, ao apresentar o diagnóstico da situação fiscal do Estado na semana passada. Em média, o Estado paga cerca de R$ 50 milhões em RPVs (requisições de pequeno valor) todos os meses. Com o bloqueio, o valor praticamente triplica.

A PGE está buscando medidas jurídicas para reverter a retirada de recursos. Os recursos sequestrados estavam sendo transferidos ao Estado, decorrentes de repasses federais como FPE (Fundo de Participação dos Estados), Simples Nacional e IPI.

 

Texto: Angela Bortolotto e Renan Arais Lopes- Edição: Gonçalo Valduga/Secom

 

 

 


Mapa do Site

Fale Conosco

Fale conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem